sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Resenha: Perdida - Um amor que ultrapassa a barreira do tempo

Estive pensando em um adjetivo adequado para Perdida, de Carina Rissi, mas não consegui encontrar um que descreva a minha empolgação com o livro. Maravilhoso, empolgante, divertido, imperdível não parecem suficientes para explicar a vocês, lindos leitores, o quanto eu quero que conheçam a história de Sofia e sejam felizes, como eu fui, durante as 362 páginas da narrativa.



Eu tinha um bom pressentimento em relação ao livro, afinal li algumas críticas e todas foram unânimes em elogios. O que eu não esperava de modo algum era me apaixonar pelo casal de protagonista e desejar, secretamente, ser teletransportada para o século XIX e viver um conto de fadas como o de Sofia.

A nossa querida protagonista é uma jovem órfã de 24 anos, residente na capital São Paulo e apaixonada pela comodidade que as novas tecnologias, como computadores e telefones inteligentes, proporcionam. Ela é independente, reside sozinha em um apartamento alugado e conta somente com a amizade sua melhor amiga, Nina. É durante uma saída noturna com Nina e o futuro “namorido” desta, Rafa, que Sofia, após alguns copos de chope, deixa seu celular cair na privada.

No dia seguinte, Sofia sai à procura de um novo aparelho celular e acaba sendo induzida por uma vendedora muito estranha a comprar um celular, que segundo a tal vendedora, “possui tudo o que você (Sofia) sempre quis na vida”. No entanto, ao tentar utilizar o celular pela primeira vez, o aparelho não funciona como Sofia esperava e magicamente a transporta para o século XIX, mais precisamente para o ano de 1.830.

A “chegada” de Sofia ao século XIX é obviamente conturbada. O jovem Ian Clarke a encontra caída no chão de um vasto gramado e lhe presta socorro, acreditando que se trata de uma senhorita vítima de saqueadores, afinal por qual outro motivo ela estaria ali, caída, e praticamente nua? (Sofia vestia camiseta, minissaia e um all star vermelho). Mesmo acreditando que Ian é um maluco que acha que vive no século XIX, Sofia não tem outra alternativa a não ser aceitar a ajuda do jovem rapaz e ir com ele até sua casa.

Sofia somente tem certeza de que tem algo muito estranho acontecendo quando recebe a ligação da vendedora do aparelho celular, a qual confirma que Sofia realmente foi transportada para o século XIX e pior, ficará no ano de 1830 até completar sua jornada e encontrar o que realmente procura. Novamente sem opções, Sofia é obrigada a aceitar o desafio e aprender a sobreviver naquele novo (antigo?) mundo.

São simplesmente impagáveis os momentos em que Sofia tem que lidar com a rotina e os costumes da época. A passagem em que ela descobre a “casinha” e a utilização dada aos pés de alfaces e aos sabugos é um dos trechos mais engraçados que já li.

O amor arrebatador que nasce entre Sofia e Ian é igualmente único. A atração do casal é incontrolável e até mesmo o menos romântico dos leitores vai querer experimentar um sentimento parecido.

Não posso contar mais sobre a história sem entregar algumas surpresas do livro, por isso, encerro esta resenha afirmando que o livro cumpriu fielmente a promessa da sinopse: "Perdida é uma história apaixonante com um ritmo intenso, que vai fazer você devorar até a última página."

Onde comprar:
Saraiva (R$ 26,90)
Submarino (R$ 28,90)
Americanas (R$ 29,90)


* A sequência "Encontrada" já está na minha cabeceira e em breve com resenha no blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário