quarta-feira, 1 de abril de 2015

Resenha: A Última Música

Há cerca de um ano, assisti ao filme A última Música e me emocionei bastante. Aí uma amiga, que tinha a obra, me garantiu que o livro era bem melhor e valia muito a pena ler. E como valeu, gente! A história é igualmente romântica, emocionante e triste, mas o envolvimento com os personagens fica bem mais intenso a partir da leitura.
A poucos meses de completar 18 anos, Ronnie é encaminhada por sua mãe à cidade de Wrightsville, na Carolina do Norte, juntamente com seu irmão Jonah, para passarem o verão com o pai, Stive, com quem Ronnie não tem contato há três anos. Apesar de Stive se esforçar o máximo para retomar seu relacionamento com a filha, Ronnie é irredutível no início e frustra todas as tentativas de reaproximação do pai.

Apesar de se mostrar rude e rebelde, Ronnie é uma garota adorável, que adora o irmão mais novo, se preocupa com os animais e com os amigos; no entanto, se esconde atrás da raiva que nutre pelo pai desde que ele abandonou a família. Bem, pelo menos é nisso que ela acredita.

Enquanto Jonah aproveita o verão com o pai, soltando pipas e consertando uma janela de vidro da igreja, Ronnie sai para explorar a cidade e acaba esbarrando em duas pessoas que serão determinantes em sua vida: Blaze e Will. Enquanto a amizade entre Ronnie e Blaze surge naturalmente, a relação com Will começa de maneira complicada, mas ganha novos contornos quando ele ajuda Ronnie a proteger um ninho de tartarugas marinhas.
 Cena do filme: Ronnie (Miley Cyrus) e Will (Liam Hemsworth)
(Imagem:Cinepop.virgula)
O romance com Will e uma decepção com Blaze ajudam Ronnie a se reaproximar do pai. Aos poucos ela conhece uma figura paterna que confia nela, sabe ouvir e respeitar suas decisões e é capaz de abrir mão de uma grande paixão – o piano, somente para agradá-la.

É simplesmente lindo testemunhar o reencontro de Ronnie e Stive, bem como o amadurecimento da protagonista, que se revela uma pessoa determinada e responsável quando uma terrível notícia ameaça arruinar tudo o que foi construído durante o verão.

Eu disse no início que a história é triste, e não menti. Você não vai sorri nas últimas páginas, em contrapartida vai sentir sua alma mais leve, como se um novo mundo se abrisse após uma tragédia. Recomendo muito a leitura, mesmo para quem já assistiu ao filme.

Onde achar: 
Submarino (R$14,90) 
Americanas (R$20,00) 
PontoFrio (R$14,90)

Nenhum comentário:

Postar um comentário