sexta-feira, 9 de outubro de 2015

O melhor conselho do mundo?


As minhas últimas semanas não foram fáceis. Muito trabalho, choro, decepções e desânimo. Dias que espero não reviver jamais. Horas perdidas tentando encontrar uma solução que até hoje não sei se existe. Discussões sem sentido. Sonhos impossíveis. Uma enxurrada de sentimentos que não me levaram a lugar algum e ainda me propiciou alguns quilos a mais (#comidatrazfelicidade) e olheiras medonhas.

"Alguém me abraça? Por favor?" - Imagem: Gadoo 
Quando não vislumbramos uma saída, conselhos encorajadores não são de muita ajuda. Apelos religiosos também resolvem quase nada; afinal, declarar que tudo o que está acontecendo com você é a “vontade de Deus” parece-me muito injusto. Bom, pelo menos o “meu” Deus quer me ver feliz, realizada e saudável. Eu não tenho dúvidas disso.

Nas horas de total desespero, os conselhos mais improváveis são os que realmente vale a pena ouvir. Não significa que você vá colocá-los em prática, pelo menos, não imediatamente. Afinal poucas pessoas podem largar o trabalho sem ter outro em vista, sair de casa sem a certeza se vai ter dinheiro no final do mês para pagar o aluguel ou fugir para a Costa Rica para cuidar de bebês preguiças órfãos.

Digo isso porque desde cedo eu aprendi que mudar não é nada fácil; sozinho, então, é muito mais complicado. É necessária muita coragem, desprendimento e vontade para fazer o improvável, tomar a atitude fora dos padrões e seguir os nossos próprios desejos. Então, talvez, aquele conselho duvidoso, extravagante, seja no final das contas, um bom conselho. 
"Ando devagar porque já tive pressa." - Imagem: Fragmentos

 A minha pretensão não é convencê-lo a mudar radicalmente sua vida e seguir seus sonhos sem olhar para trás. Seria muita hipocrisia minha lhe dizer tal coisa. Eu só queria que você soubesse que não está sozinho em seu medo. Você não é único que deseja mudanças, mas não encontra coragem e meios para concretizá-las. Você se sente mal, é claro. Até covarde, às vezes. Mas, acredite em mim, autoflagelação também não ajuda.

Você deve estar se perguntado se eu tenho algum conselho para lhe dar, afinal. Na verdade eu tenho sim, e até já falei um pouco sobre ele nesta postagem.

Apegue-se ao que lhe faz bem. No meu caso são, principalmente, os livros e os animais. Experimente de verdade, quando estiver diante daquilo que traz o seu “melhor” à tona, esquecer o trabalho chato, os problemas familiares, as dívidas, os sonhos não vividos, e permita-se ser feliz durante algum tempo. Encontre no seu hobby, na sua paixão, nos seus filhos, no seu ídolo, a inspiração para seguir tentando. Afinal, se nos falta coragem para mudar de trajetória, não temos outra escolha: precisamos continuar no mesmo caminho e torná-lo o menos doloroso possível.  

"Porque quando eu leio o mundo fica mais bonito." - Imagem: Desassossegada

Nenhum comentário:

Postar um comentário